Páginas

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Uma linha



Dia quatro. Três meses. Uma linha deitada, no quarto dedo, da mão que eu escrevo. A marca o sol tirou. O vinco cedeu com os dias. Dez anos. Não tivemos filhos. No meu corpo só o que sobrou foi essa linha. Talvez já estivesse ali antes disso. Mas verifiquei todos os outros dedos. Àquela altura daquele jeito, só essa linha, do quarto dedo, da mão que eu escrevo. Será que um dia vai sair? Não importa. Talvez voltemos a contar nosso tempo. Mas não quero voltar a marcar, o quarto dedo, da mão que eu escrevo.

domingo, 1 de outubro de 2017

Lixinhos Literários no. 6 (Fofoca no prédio)


'Chegou tarde', vó Rosa diria.
A web tem um bafafá diferente para cada semana, hoje já é domingo e venho falar de algo que foi bafafá na semana anterior. Nessa que está acabando, o monotema é "criança + gente pelada em museu". Então, vou falar de assunto velho, enterrado semana passada, como provavelmente essa segunda-feira enterrará o "criança + gente pelada em museu". Mas vou contar porque é divertido, e eu quero contar e pronto.
Ontem fui fazer umas torradas, caiu um pouco de orégano na frigideira e eu não percebi. Dali a alguns minutos, começou a subir um cheirinho que me lembrou de um episódio engraçado dos meus tempos tijucanos.