Páginas

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Lixinhos Literários no. 3

Queridos leitores,

E a lixeira vai aumentando. Estou botando tudo para fora para valer. Para quem se aventurar a continuar... o entulhinho mental de hoje tem a ver com sonhos, mas com sonhos reais. Os que a gente consegue pegar com a mão e apertar, espremer, esfregar, etc. Você já teve um sonho assim? Então este texto é sobre você também, afinal você é um dos...


VERDADORES SONHADEIROS

Tela de Marc Chagall

Às minhas duas primas: Carolina e Denise. E aos dois melhores amigos: Babi e Edu.

Dizem que os poetas, os artistas, os pensadores são sonhadores, loucos, ousados. Que são aqueles que subvertem.
Pois sim, os artistas, os poetas, os inventores, escritores, filósofos são aqueles que  estão tentando, cada qual a seu modo, entender sobre si próprios, o mundo e agir sobre ambos.
Mas eu digo mais. Digo que os que escolhem ter filhos são os verdadeiros sonhadores. Pois ainda que gerar seja do instinto de todo vivente; ainda que reproduzir seja de fácil e inconsequente acontecer, há os que o fazem por intenção. Contra todos os prognósticos de sobrevivência, contra todas as possibilidades de sofrimento e catástrofe iminentes, ainda assim escolhem gerar descendência.
Talvez seja egoísmo, ingenuidade, egocentrismo, irresponsabilidade ou pura ignorância. Eu prefiro chamar de fé. E de quê são feitos os verdadeiros sonhos se não de fé? De fé e entrega. Um entregar-se humilde e franco ao desconhecido. Um assumir que na verdade só fingimos saber do futuro, só conjecturamos e, no fim das contas, não há como se ter certeza de absolutamente nada. A natureza pode nos surpreender tanto pelo abismo quanto pela redenção. A realidade é que vivemos sempre por um fio. A qualquer segundo pode um pó de estrelas nos engolir sem que nem tenhamos tempo de dar conta.
Ah vocês que ousam sonhar de verdade. Que ousam apostar na renovação. Como vos admiro. Pois cada novidade que chega na casa dos que sonham, desnuda minha descrença e ceticismo; minha incapacidade de acreditar que o mundo pode ser diferente.
Para estes corajosos, bravos que têm a audácia de sonhar. Espero que estejam certos. Que o impensável venha nos surpreender com indizíveis alegrias. E desejo que, conscientes de que são portadores da novidade, dos sonhos verdadeiros, sejam capazes de ser Verdadores Sonhadeiros.
Sim! Que sejam capazes de olhar diferente, de apostar, de inverter. Que tenham a audácia de botar tudo do avesso e, mais do que levar realidades para dentro dos novos, saibam extrair os sonhos que os novos vêm trazer para o nosso mundo.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui sua mensagem. Linguagem obscena ou agressiva não será tolerada.