Páginas

sábado, 22 de março de 2014

Tela sobre duas rodas

Entrando numa vibe minimalista, depois de uma experiência que eu deveria repetir mais vezes. Desta vez não vou ficar me explicando: quem entender o poema, maravilha! Se não entender, só lamento.




TELA SOBRE DUAS RODAS




Um passo,
um impulso,
ganho a rua,
cruzo o sinal.



E veloz,

quinta-feira, 6 de março de 2014

Quinze anos depois: lembrando a vida e a obra de Stanley Kubrick

Por Fernando Loureiro



Há exatos 15 anos, no dia 7 de março de 1999, falecia, em sua residência na Inglaterra, o cineasta estadunidense Stanley Kubrick. Ao longo de 46 anos de carreira Kubrick lançou apenas 13 longas-metragens. No entanto seus filmes o fizeram ser considerado por críticos e por seus colegas de ofício como um dos maiores cineastas de toda a história do cinema.


Nascido no Bronx, na cidade de Nova York, a 28 de julho de 1928, filho de um médico e de uma dona de casa, ambos descendentes de imigrantes judeus da Europa Oriental, Kubrick iniciou sua vida profissional aos 16 anos de idade, como fotojornalista da revista Look, de Nova York, atividade que dividia com a paixão pelo xadrez, música clássica e jazz. Autodidata, era ávido espectador de filmes de arte no Museu de Arte Moderna de Nova York, o MOMA, onde assistiu aos grandes clássicos do cinema mudo e filmes europeus e estadunidenses da primeira metade do século XX. Assistia a aulas de filosofia, sociologia e psicologia, como ouvinte, na Columbia University, mas, no entanto, as notas medianas do jovem Stanley no ensino médio não tornaram fácil sua entrada numa universidade e ele acabou nunca cursando o ensino superior.