Páginas

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Resenha - A verdade sobre Emanuel

Resenha do filme "A verdade sobre Emanuel"




Uma história sobre luto, culpa, maternidade e o primeiro amor. Seleção no festival de Sundance e com certeza um dos destaques do nosso festival carioca, "A verdade sobre Emanuel", com direção, roteiro e produção de Francesca Gregorini, aborda todos estes assuntos delicadíssimos e os conflitos da adolescência de uma forma linda, suave e ao mesmo tempo real; sem romantismo kitsch.

Emanuel é uma moça prestes a completar 18 anos que viveu sua vida imersa na culpa pela morte da mãe no parto. Quando Linda (interpretada por Jessica Biel) se muda com sua filhinha Chloe para a casa ao lado, a semelhança com a mãe falecida chama sua atenção e assim a introvertida e ácida adolescente aceita ser babá do bebê. Só que as coisas não são exatamente como ela imaginara: a jovem descobre que Chloe é na realidade uma boneca! Entretanto, contrariando toda lógica, Emanuel segue com a fantasia da vizinha.


Apesar da síntese de enredo sugerir uma narrativa bizarra (ainda mais por se tratar de um filme independente), o longa é muito tocante, delicado e humano. Destaque para a interpretação da belíssima Kaya Scodelario que (graças a Deus) substituiu Rooney Mara no papel de Emanuel e, quem diria, nasceu na Inglaterra, mas tem mãe brasileira e fala português fluentemente!


A história principal se desenvolve entre dois planos: Emanuel testemunhando o amor materno que ela nunca conhecera e ao mesmo tempo tendo a oportunidade de imaginar como teria sido se o contrário houvesse ocorrido, ou seja, se sua mãe tivesse sobrevivido no seu lugar. Para quem é mulher, mas não é mãe (como foi o meu caso) o filme ainda levanta um outro tema quase esquecido: o filho ser mais importante e necessário para a mãe do que o contrário. Levanta-se a bandeira das necessidades do bebê e de como a figura materna é indispensável. Será mesmo? Ou será o bebê muito mais importante e necessário para a mãe? (Atenção, final da resenha contém spoilers!)


cena final de "A verdade sobre Emanuel" A maneira como a garota lida com a situação, mostrando uma compaixão e misericórdia quase divinas, talvez expliquem o motivo da escolha do nome inusitado (e masculino) para a personagem: Emanuel que significa Deus é conosco. E é ela a peça essencial que ajudará Linda a fazer a difícil transição para a realidade, aceitar e lidar com a perda de sua filhinha e assim recomeçar.
Nota dez!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui sua mensagem. Linguagem obscena ou agressiva não será tolerada.