Páginas

terça-feira, 7 de maio de 2013

Moça do interior ?!?



Moça do Interior


Em prosa com um bom amigo,
me dissera que conservava,
hábitos de moça do interior.
Pois mantenho a fala limpa,
e ainda chamo os velhos,
de senhora e de senhor.



Entretanto o que os chegados,

e até amigos íntimos,

nem sequer podem supor,

é a extensão do vocabulário,

de uma moça do interior.


Evito linguagem obscena,
pejorativa, ofensiva, abusiva.
Afinal, muito mais do que chocar,
nas palavras há força e poder.
E para quem não acredita,
dou-lhe um pequeno exemplar.

Nessa bosta de poema,
vou fazer-lhe sentir,
que merda pode ser,
quem as palavras não sabe medir.

Posso muito bem dizer,
"Que linda! Essa blusa está na moda!"
Seria a mesma coisa que exclamar,
"Garota! Olha que blusa foda!"

Se um dia pela polícia for parada,
É certo que vou lamentar:
"Que chato! Fui autuada."
Ou exercito maior desprazer.
Ao falar que levei uma multa,
de um digníssimo filho da puta.

Numa dada ocasião,
dei uma topada no dedão.
Posso simplesmente gritar:
"Minha nossa, ai, que dor!"
Mas se do pé eu quase tiro um talho,
Seria muito melhor descarregar,
com um grande: "Ai, caralho!"

Se até agora não foi suficiente,
E de palavrões ainda não está farto.
Dou agora o xeque-mate, caia morto!
Puta merda, como conseguiu chegar?
Até o fim desse versinho escroto???


 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui sua mensagem. Linguagem obscena ou agressiva não será tolerada.